💬 Resenha #7 | Extraordinário

Em "Extraordinário" reconhecemos o quão importante e magnífico é o modo de escrita e a abordagem do tema pela escritora R. J. Palacio. Nesta obra somos apresentados a August Pullman, ou apenas Auggie, que nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma deformidade facial que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas.

Auggie acima de tudo é um garotinho e tem consciência sobre si mesmo e aos outros que o rodeiam (ele até usava um capacete de astronauta para esconder-se das pessoas). Seus pais e sua irmã o protegem, mas sabem que em um momento isso vai acabar.

Não frequentando a escola, terá que se adaptar a esta nova tarefa, e a partir daí somos apresentados ao universo que me chocou em vários momentos (como as fotos de turma que eram photoshopeadas e distribuídas aos pais da escola sem Auggie).

"PRECEITO DE SETEMBRO DO SR. BROWNE:
QUANDO TIVER QUE ESCOLHER ENTRE ESTAR CERTO E SER GENTIL,
ESCOLHA SER GENTIL." 
- Sr. Browne, pág. 55

O gosto por "Star Wars" e a relação de um personagem ao Auggie também foi um desses momentos. Na página 51, Julian (um garoto que odeio) faz uma pergunta sobre o seu gosto ao personagem Darth Sidious e aquilo magoa.

"Agora era a vez de Jack falar, mas admito que não ouvi nem uma palavra do que ele disse.
Talvez ninguém tenha entendido a coisa do Darth Sidious,
e talvez Julian não estivesse dizendo nada de mais.
Mas em Star Wars Episódio III: A vingança dos Sith,
o rosto do Darth Sidious é queimado pelos raios dos Sith e fica completamente deformado.
A pele fica toda enrugada e a cara inteira meio que derrete.
Dei uma espiada na direção de Julian e ele estava olhando para mim.
É, ele sabia o que estava falando." 
- Auggie, pág. 51

Sendo um livro definido como infantil, ele tem muitos momentos marcantes e alegres como o encontro de verdadeiros amigos, descobertas e aventuras.

"- Por que eu tenho que ser tão feio, mamãe? - murmurei.
- Não, querido, você não é...
- Eu sei que sou." 
- Auggie & Mamãe, pág. 66

A edição brasileira ficou por conta da Editora Intrínseca e é belíssima! O azul é uma cor muito única ao livro e as separações em visões diferentes são bem interessantes. Recomendo a todos adolescentes e adultos também, é uma leitura simples e rápida, mas vale a pena.


 Extraordinário 
R. J. Palacio
Tradução: Rachel Agavino
320 Páginas
Gênero: Infantojuvenil/Drama
Fevereiro/2012

Compartilhe:

0 comentários