🆂 Conversando com um Serial Killer | Série


Recomendar coisas novas chama atenção e interesse do público, mas nem sempre sabemos do que se trata e ficamos perdidos na indicação se não tivermos alguma ajuda para tentar entendê-lo.

Seria bom conhecermos um pouco mais dessa história que aterrorizou alguns lugares nos Estados Unidos e que você saiba quem ele é. Já ouviu falar sobre o Anjo da Morte? Não?! E sobre Ted Bundy?

Reprodução Netflix©

Bundy tem uma história conturbada desde a sua infância, mas conforme foi crescendo, as experiências e descobertas sobre sua própria família o rebelou. Não se pode negar a inteligência dele, tinha um futuro promissor para todos os que o viam crescer.

Mas além da inteligência e a aparência chamativa para as garotas, era um assassino frio. Bundy usava seu jeito educado e dócil para abordá-las, pedindo ajuda. Caminhavam até seu carro e lá, as atacava.

Ele  estrangulou, abusou, torturou, estrupou e assassinou mais de trinta mulheres em diferentes localidades dos Estados Unidos. O julgamento foi lento, cheio de acontecimentos polêmicos e até mesmo com ele fugindo da cadeia. Os capítulos finais de Bundy na terra foi algo tido como uma festa, com populares comemorando o adeus ao assassino.

Reprodução Netflix©

O DOCUMENTÁRIO 📼

Em quatro episódios, somos levados a população conturbada dos Estados Unidos na década de 70, quando assassinatos e desaparecimentos começaram a ocorrer.

Mostrando a bondade de Theodore Robert Bundy ser completamente desfigurada, conhecemos melhor a face inteligente, fria e narcisista do assassino entre as reportagens, depoimentos e conversas com jornalista.

Conseguimos desmembrar sua história com profundidade, da infância a morte. Do desejo pelo futuro na advocacia aos seus atos macabros.

O apreço por matar jovens estudantes mulheres é de tamanha estranheza, pensando que ele já teve relacionamentos e até mesmo uma filha antes do seu adeus final. São coisas difíceis de entender como: por que alguém iria ter um filho de Ted Bundy? Ele é um assassino cruel! Mas somos levados a população, as jovens da época, em que acreditavam na inocência dele e o achavam bonito demais para ser verdade.

Poucos dias para a morte, ele sentia isso, não iria se safar dessa vez. Em uma entrevista a um jornalista que confiava, ele contou a verdade, em detalhes, desvendando até onde poderiam encontrar alguns corpos de garotas ainda não encontradas. Nesse momento, ele se descreve em terceira pessoa e logo descobrimos a tamanha doença que Bundy tem.

O documentário é um prato cheio para quem gosta do gênero policial, investigativo e aos que adoram explorar a mente desses indivíduos tanto academicamente quanto por curiosidade.


Referências:
BERLINGER, Joe. Conversations with a Killer: The Ted Bundy Tapes. Documentário: Netflix, 2019.
CASOY, Ilana. Serial killers: louco ou cruel? Rio de Janeiro: Darskide, 2014.
O Anjo da MorteCanal Ciências Criminais. Visitado em 24 de agosto de 2017.

Compartilhe:

8 comentários

  1. Olá, achei sua postagem interessante, mais confesso que no momento não teria coragem de ler e nem assistir nada do gênero, só as fotos do post já me intimidaram, acredito ser uma história intrigante para amantes de psicologia nem se fala rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinceramente, os amantes de psicologia vão adorar e até entendo sua decisão, não é um assunto para todos.

      Excluir
  2. Apesar de ter sentido falta de algumas coisas que precisavam ser abordadas no documentário, gostei bastante. Acho interessante e importante falar sobre, mas sem romantização e gostei de mostrarem tudo de forma crua. No novo filme por exemplo, não gostei de como o mkt fez a propaganda

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o novo filme está muito romantizado. O que deveria causar medo ou ânsia está dando um ar completamente contrário. O mkt do trailer então, a trilha sonora... péssima

      Excluir
  3. Oiê, adoro documentários deste estilo e amei o seu post! Parabéns!!

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?

    Adorei sua dica para assistir esse documentário porque estou curiosa pela história. Não sabia que era apenas quatro episódios. Vou aproveitar para assistir neste final de semana. Parabéns pela dica.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São quatro episódios essenciais, é muito bom! Espero que goste também!

      Excluir