[Review] Night Stalker: um homem brutalmente frio.

Em Night Stalker, acompanhamos os passos macabros de um serial killer extremamente frio e imprevisível na cidade de Los Angeles, EUA. Richard Ramirez gostava de perseguir, invadir casas, falar coisas perturbadoras e desenhar pentagramas em si mesmo. TRANQUE SUAS PORTAS.



Título: Night Stalker: Tortura e Terror
Título Original: Night Stalker: The Hunt for a Serial Killer
Disponível na [Netflix]
Minha Nota: ⭐⭐⭐⭐ (4/5)

No verão de 1985, Los Angeles foi atingida por uma onda de calor recorde, junto de uma série de assassinatos e agressões sexuais que, a princípio, pareciam não estar relacionadas. As vítimas incluíam homens, mulheres e crianças, com idades entre seis e 82 anos. Além disso, vinham de diferentes bairros, raças e classes sociais. Um jovem detetive chamado Gil Carrillo e o lendário investigador de homicídios Frank Salerno se uniram para identificar o culpado e prendê-lo antes que cometesse mais crimes.
Decidir assistir esse documentário sem saber sobre o que se trata pode deixar toda a experiência enfadonha e sem entendimento até seus momentos finais. Focando na ação da polícia e dos detetives que investigavam o caso, a mídia e as histórias tenebrosas das vítimas, ele não traz uma imagem fixa do serial killer no começo, mas sim características relatadas pelas pessoas que viram ou sobreviveram aos ataques.

Night Stalker aborda sobre Richard Ramirez, um estuprador, pedófilo, ladrão e assassino em série, que cometeu atrocidades em Los Angeles e São Francisco nos anos 80. Nos episódios, somos guiados pelas entrevistas dos detetives Gil Carrillo e Frank Salerno desde as primeiras mortes, levando os que assistem a entender melhor os passos da investigação e nos fazendo ligar os pontos (viramos praticamente um dos detetives na caça pelo assassino).

Mesmo trazendo certos detalhes dos crimes, eles não são tão profundos e descritivos, eles são citados de maneira enxuta, trazendo revelações a cada novo caso. O foco está nas pistas que os detetives encontraram e nos relatos das vítimas ou familiares. Mas são esses detalhes da crueldade de Ramirez que vai moldando sua imagem e personalidade. A cada momento uma coisa nova que gera curiosidade para vê-lo.

A forma como os relatos são contados junto com a atmosfera criada e música, torna cada momento angustiante e tenebroso. Tiveram relatos que me fizeram arrepiar e chorei no caso de uma sobrevivente que foi abusada sexualmente. Na época ela tinha apenas seis anos, mas você consegue sentir a dor, ver a escuridão em seu olhar ao relembrar.

Quando as peças estão encaixadas e a pressão sucumbe sobre todos os envolvidos, uma euforia é criada, e são os melhores momentos para ficar de olhos grudados na tela. Em minha mente, o formato seria mais parecido com “Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy” que engloba polícia, casos, entrevistas e o próprio assassino, mas ele segue um caminho diferente. É um documentário extremamente obscuro, uma série de suspense sanguinário.

Não vou falar sobre os crimes ou sobre certos detalhes, você precisa mergulhar na história por si só. É bem produzido, um arrepio aos que gostam desses fatos, mas deixou a desejar na relação de explorar mais Ramirez.

8 comentários:

  1. Oi Ytalo!!

    Menino não soube do lançamento desse documentário não, quando vejo documentários desse gênero sempre acabo me lembrando daqueles documentários de crimes com aquelas vozes dubladas sabe? Tem bastante tempo que não vejo um documentário desse gênero quem sabe eu não dou oportunidade para esse não é mesmo?

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você uma oportunidade, mas prepare o estômago! O clima é pertubador!

      Excluir
  2. Olá, tudo bem?

    Adorei sua dica de documentário para assistir porque eu gosto muito do gênero e não fiquei sabendo nada a respeito deste lançamento. Com certeza vou tentar assistir o mais rápido possível e mergulhar na história. Obrigada pela dica.

    Bjos
    https://consumidoradehistorias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que o documentário seja tão imersivo quanto foi para mim! Espero que goste!

      Excluir
  3. Olá!

    Dessa vez vou precisar passar a dica, não é meu gênero. Porém acredito que para quem curte seja uma experiência interessante, então se eu encontrar alguém que curta esse tipo de documentário eu indico sua resenha.

    Beijos
    Thayza - Leitura Terapia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo que a dica não agrada a qualquer um e agradeço seu comentário!

      Excluir
  4. Eu não sabia da existência desse documentário, até parei a resenha no meio para adicionar em minha lista na netflix, sei que sou impressionável, mas quero assistir e acho que essa atmosfera que você menciona, de música e tals, deixa a coisa mais macabra, ao menos para mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que goste de acompanhar os passos do macabro e famoso Night Stalker! Conta para a gente o que achou depois.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.